sábado, 11 de agosto de 2007

Soneto de Separação


Adoro este poema, apesar de triste... :-)


Soneto de Separação

(Vinícius de Moraes)


De repente do riso fez-se o pranto

Silencioso e branco como a bruma

E das bocas unidas fez-se a espuma

E das mãos espalmadas fez-se o espanto.


De repente da calma fez-se o vento

Que dos olhos desfez a última chama

E da paixão fez-se o pressentimento

E do momento imóvel fez-se o drama.


De repente, não mais que de repente

Fez-se de triste o que se fez amante

Ede sozinho o que se fez contente.


Fez-se do amigo próximo o distante

Fez-se da vida uma aventura errante

De repente, não mais que de repente.


5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Sim muito triste. Obrigado pela visita ao Puto Prestimoso, deixo aqui um que fiz há certo tempo em outro dos meus blogs.

Ah, amor incontido, penetrante
Amor não correspondido, distante
Sonho perfeito, pela mágoa desfeito
Profunda saudade, incondicional,

Ah, amor inconsciente, permanente
Amor não permitido, pleno, ausente
Sonhos desfeitos, pela mágoa imperfeita
Saudade que esmaga, angustia

Sólido amor, impossível
Destinos cruzados
Caminhos interrompidos

Hora incerta, amor tardio
Perfeito sonho imperfeito
Saudade, amor ausente

Flávia disse...

Menina, eu acho lindo esse poema... apesar da tristeza, ou justamente por causa dela.

Vinicius de Moraes é uma dádiva da poesia brasileira. Sempre há algo que queremos dizer, que pode ser dito através das palavras dele.

Adorei a escolha.

Beijos!

Roberta disse...

Oi Flavia, Eu tb gosto mto dele!Além do Sonto de Fidelidade que é um clássico sempre presente nas aulas de portuguÊs dos cursinhos pre-vestibulares! :-)Abs Roberta

OI Ricardo Rayol! KKK sem dúvida! O Puto Prestimoso é o amante profissonal perfeito (lembra da música, não?) e o seu blog me divertiu mto... vou favoritar pra voltar sempre e acompanhar as novidades!! Obrigada pelo poema... lindo & sexy! :-) Abs Roberta

Carolina disse...

Olá! sabe, uma coisa útil pro problema de idéias no banho é um pedaço de fórmica branca e opaca (ou qualquer superfície a prova dágua em que um lápis pegue e seja apagado ) e lápis. Meu pai usa para mergulhar e á muito útil.
Depois é só copiar pra um lugar definitivo e usar a borracha. :P

Quer dizer, achei que talvez fosse uma idéia. ^_^´Mas talvez te pareça loucura demais! De toda forma boa sorte com as idéias fujonas!

(sim, estava passeando pelo google, pesquisando referências de mãos para um desenho e vim parar aqui => Você não me conhece, desculpe a intromissão! ^__^)
bye!

Roberta disse...

Carolina! Que ótima idéia... não, de modo nenhum parece louca! Gostaria de visitar seu blog.
:-) Abs Roberta